On Line

Orações Subordinadas Adjetivas - 9º ano - Aula Programada Exercícios sobre a Tirinha

Written By Reforma Gramatical on terça-feira, 15 de maio de 2012 | terça-feira, maio 15, 2012

No intuito de compreender melhor sobre o referido assunto, é essencial que entendamos sobre os aspectos referentes ao conceito de todo e qualquer termo.

Por que orações subordinadas?

As mesmas conceituam-se como tal, em função da relação de dependência estabelecida entre a primeira e a segunda oração.

Observe:

Desde que chegamos, não cessaram as visitas.

Analisando o sentido do enunciado linguístico presente nas mesmas, obtemos:

Desde que chegamos – A oração torna-se sem sentido quando dita aleatoriamente.

Já em: Não cessaram as visitas A oração por si só possui requisitos essenciais para que seja dotada de sentido.

Desta forma, o termo “subordinação” retrata a dependência de sentido que a primeira oração tem com a segunda.

Quanto ao termo “adjetivas”, o mesmo decorre pelo fato de as orações desempenharem a função de adjetivos. Perceba:

O menino que estava alegre ganhou um brinquedo.

Notamos que “alegre” é uma característica referente ao substantivo menino.

De acordo com a classificação, as subordinadas adjetivas subdividem-se em: Restritivas e Explicativas.

Uma análise mais detalhada facilitará bastante a compreensão. Por isso, atente-se para as orações a seguir:

Os cães que são peludos necessitam de um cuidado maior - Oração subordinada adjetiva restritiva.

Inicialmente, devemos entender que “cães” fazem parte de um conjunto complexo que é representado por animais quadrúpedes, mamíferos, carnívoros, entre outros.

Porém, o adjetivo peludo representa somente uma subclasse desses animais, pois existem raças que não são peludas. Daí o conceito de restritivas, uma vez que restringe somente a uma determinada raça.

São Paulo, que é a maior metrópole brasileira, apresenta vários problemas sociais.

Notamos que o termo disposto entre vírgulas representa uma verdade universal, isto é, faz parte de um conhecimento comum a todas as pessoas. Portanto, o mesmo representa uma informação mais detalhada sobre a cidade de São Paulo. Daí a denominação de explicativas.

Analisemos outro exemplo:

Santos Dumont, que foi o inventor do 14 Bis, tornou-se um marco na nossa história.

Fato semelhante ocorre nesta oração, uma vez a expressão grafada entre vírgulas caracteriza a subordinada explicativa.

Portanto, partindo deste pressuposto, é possível que não tenhamos mais dúvidas em classificá-las corretamente.

Por Vânia DuarteGraduada em LetrasEquipe Brasil Escola  Fonte

1.  A resposta dada a Honi – filha de Hagar e Helga – no primeiro quadrinho, é um período composto.
a. Identifique suas orações que compõem o período.
b.  Que termo da primeira oração é retomado na segunda pelo pronome relativo?
c. Houve a elipse do  pronome relativo no início da segunda e da terceira oração subordinada. Reescreva o período, acrescentando o pronome relativo para introduzir essas orações.
d. Observe as orações introduzidas pelo pronome relativo e responda: houve especificação ou generalização do termo antecedente ao pronome. Explique.
e.Classifique as orações introduzidas pelo pronome relativo.
2. Observe a resposta de Helga no segundo quadrinho e responda:  para Helga, o homem perfeito existe? Explique.
Pronome Relativo

1 comentários:

clamanat disse...

Bom trabalho, parabéns.

amsl

Postar um comentário

Deixe sua Mensagem!

Flickr

Pesquisar Blog

Carregando...
 
berita unik